XV Congresso Catarinense de Cardiologia

Divisor de Título

Levosimendan: Uma nova alternativa no manejo da insuficiência cardíaca em terapia intensiva miocardiodiopatia periparto - Relato de caso

Introdução: A miocardiopatia periparto é uma causa incomum de insuficiência cardíaca, que se manifesta entre o último mês de gestação e os primeiros 5 meses pós-parto. (1) Sua causa permanece incerta e sua mortalidade variável, uma vez que muitas pacientes são subdiagnosticadas, em virtude do quadro clínico que se caracteriza entre outras manifestações por edema, dispneia, estertores pulmonares e menor tolerância ao esforço, os quais podem ser atribuídos a alterações fisiológicas da gestação. (1,2) É necessário que sejam descartadas causas pré-existentes de miocardiopatia que possam ser exacerbadas pela gravidez. Dentre os critérios diagnósticos estão o desenvolvimento de insuficiência cardíaca no final da gestação ou 5 meses após, ausência de uma causa identificável para a insuficiência cardíaca e de cardiopatia antes do último mês gestacional, associados a disfunção sistêmica do ventrículo esquerdo demonstrada por critérios ecocardiográficos. Levosimendan é uma droga com efeito inotrópico, a qual melhora a resposta dos miofilamentos ao cálcio, além de possuir um efeito vasodilatador, através da abertura de canais de potássio. Desta forma promove melhora hemodinâmica, dos sintomas e dos desfechos clínicos de pacientes com insuficiência cardíaca descompensada (3,4,5) Descrição do caso: Mulher, 31 anos, primípara, foi admitida no hospital após 1 hora da cesariana, com quadro de insuficiência respiratória por edema agudo de pulmão associado a alteração enzimática cardíaca. Estratificação com Cineangiocoronariografia que não demonstrou lesão coronariana e ecocardiograma com disfunção sistólica severa na ausência de valvulopatias. Além de diuréticos, anti-hipertensivos, ventilação mecânica foi medicada com levosimendan por 24 horas, evoluiu com desfecho favorável e alta hospitalar. Após 4 meses da alta hospitalar, apresentou recuperação completa da função ventricular e fração de ejeção de 72% em ecocardiograma transtorácico. Conclusão: Em pacientes com miocardiopatia periparto o uso de levosimendan pode melhorar o desfecho clínico e função cardíaca.

Autores: VITÓRIA SCHMIDT RAMOS, Humberto Bolognini Tridapalli, Siegmar Starke, Julio Schulz, Tiago Martini, Marcelo Linhares, Letícia Heidrich Pacheco , Jaqueline Stradiotto Coelho