XV Congresso Catarinense de Cardiologia

Divisor de Título

Importância do infradesnivelamento do segmento PR para o diagnóstico de miocardiopatia de Takotsubo: Relato de caso

INTRODUÇÃO A miocardiopatia de Takotsubo (MT) é uma cardiomiopatia que se caracteriza por sinais e sintomas de infarto agudo miocárdico na ausência de doença obstrutiva coronariana epicárdica. Isso leva a diminuição ou supressão de função ventricular esquerda com recuperação em algumas semanas com ocorrência predominante em mulheres pós-menopausa. Há evidências de que em pacientes submetidos a estresse físico ou emocional pode ocorrer hiperativação do sistema nervoso simpático e hiperativação cardíaca simpática sendo o fator desencadeante. O diagnóstico é importante para manejo e seguimento clínico, visto que, é sabido que essa cardiopatia de estresse possui bom prognóstico, porém em um pequeno grupo de pacientes pode ter implicação fatal. No eletrocardiograma geralmente ocorre alterações semelhantes ao espectro clinico da síndrome coronariana aguda, tais como: supra desnível do segmento ST principalmente em derivações precordiais anteriores, infradesnivel do segmento ST, prolongamento de QT, inversão de onda T, ondas Q patológicas8 Recetemente foi publicado a associação dos achados de infradesnivel do segmento PR (RR=37.2, IC95%=3.4?424) associado com pequeno supra do segmento ST ? 0,2 mV (RR=11.1, IC95%=1.7?99.4)obtemos uma especificidade de 100% para o dignóstico de MT. Nós relatamos um caso com historia típica associado com os achados eletrocardiográficos descritos acima. RELATO Uma paciente de 79 anos do sexo feminino foi admitida em nosso serviço com dor precordial intensa do tipo aperto de intensidade 10 (em uma escala visual analógica) sem irradiação associada à dispneia e cianose. O quadro anginoso se iniciou após um assalto no qual permaneceu de refém. A evolução foi do inicio da dor até a admissão hospitalar foi de 6 horas. O ECG apresentava ritmo sinusal com 92 cpm, infradesnivel do segmento PR (DII, V4-6 e supra reciproco em avR), intervalo PR normal, eixo do QRS próximo a 30 graus, supra de 1 mm das derivações V4-V6 e além de discutível ondas J em precordiais direitas. Biomarcadores foram CK massas de 33, Troponina de 9,3. Optado por estratégia invasiva que demonstrou ausência de lesões coronarianas com obstruções criticas e ventriculografia observou-se hipercontratilidade basal associada a acinesia ântero-apical, com o ventrículo esquerdo (VE) apresentando aspecto de moringa. Ecocardiograma durante a internação demonstrou moderada disfunção sistólica de VE (FE 49%) com acinesia médio-apical e antero-septal associada com hipercontratilidade das porções basais. Apresentou boa evolução hospitalar recebendo alta no sexto dia de internaçãoo hospitalar. CONCLUSÕES A difusão de conhecimento de critérios de diagnostico diferencial no contexto da síndrome coronariana é de fundamental importância, principalmente na MT onde não há um método padrão ouro para diagnostico. Este caso solidifica o eletrocardiograma como papel fundamental na avaliação da dor torácica, superando vários métodos complementares de alto custo.

Autores: ANA CAROLINA CALDARA BARRETO, Ana Carolina Gern Junqueira, CARLA ANDRESSA DAL PONTE, EMANUELLA STELLA MIKILITA, DOUGLAS MUNIZ BARBOSA, ALEXANDRE GAYOSO NEVES MAIA DE OLIVEIRA, Rafael de March Ronsoni